Posts com Tag ‘house’

Bater cabeça é ao som do rock’n’roll. Não é à toa que aqueles que curtem heavy metal são conhecidos como headbangers. Por isso, criou-se o “bate-cabelo” para definir aqueles que curtem música eletrônica.

Sei que em Miami já rola há 24 anos o Winter Music Conference. Trata-se de um evento que reúne conferências (oh!), palestras, workshops e exposição sobre as variadas vertentes da música eletrônica e, claro, tem vááários clubes associados, que realizam festas (noitadas, baladas, raves – a gosto do freguês) relacionadas ao WMC. O deste ano começa no dia 24 de março e termina quatro dias depois.

Aí, resolveram que o Brasil já tem uma cena eletrônica bacana, DJs famosíssimos, além de ser adorado pelos top DJs, como Fatboy Slim/Norman Cook. Então, começa amanhã, na Marina da Glória, a versão brasileira: Rio Music Conference.

David Guetta: o mundo é dele (?)

David Guetta: o mundo é dele (?)

A diferença básica pra versão gringa é que por aqui os eventos do dia e as festas serão realizados no mesmo local: uma tenda montada num dos mais sensacionais visuais da cidade, que recebe todo ano o Tim Festival e as duas edições do Fashion Rio. O RMC começa amanhã e só termina na terça-feira de Carnaval. Além de workshops com gente do naipe dos DJs Marky, Memê, Pachu e Gui Boratto, o ponto alto promete ser a primeira noite de festa, que terá ninguém menos que David Guetta (“The world is mine”) nas carrapetas. Muito concorrida também promete ser a noite de domingo, quando Sven Väth vai mostrar como consegue ficar papo de DEZESSEIS horas direto discotecando.

De acordo com a DJ Mag brasileira, será o “maior evento de dance music” do  Hemisfério Sul. Que chique! E quer saber o melhor de tudo? Vai ter um GARI infiltrado, pra contar tudo aqui no blog.

As informações completas estão no site: www.riomusicconference.com.br

Anúncios

E aí? Curte ficar descobrindo bandas novas no MySpace? A gente, por aqui, se amarra.

Então, seguem dicas de boas bandas gringas novas que estão rolando por lá (depois fazemos uma lista das brazucas, tá?):

The Days num momento “pintou sujeira!”

The Days: pop / rock / alternativa, do Reino Unido
Pop rock indie muito, muito legal. Lembra Libertines, mas não soa como uma cópia.

Cold Hands: parece nu-metal emo. Mas não é

Cold Hands: indie / rock / new wave, do Tennessee, EUA
Passeia entre estilos e adere à onda new rave, com músicas ideais para festas. Já pra pista!

Anton Mink: blasé cool

Anton Mink: rock / indie / alternativa, de Kentucky, EUA
O vocal, feminino, lembra a Karen O., do Yeah Yeah Yeahs, e o jeitão dance pop metidão soa como brit pop. É a evolução do Cansei de Ser Sexy. Sacou?

Skank Sinatra: electro / house / big beat, do Reino Unido
Já vale pelo trocaralho do cadilho. É o batidão do Sinatra. Som eletrônico, que em alguns momentos resvala no rock. Voltemos à pista!

Zoot Woman: não é o Echo & The Bunnymen disfarçado

Zoot Woman: alternativa / pop / eletrônica, de Londres, RU
Infelizemente não está no MySpace a ótima versão que eles fizeram para “Das Model / The Model”, do Kraftwerk, mas tá valendo. Já sacou a onda, né? Som novo com ótimas influências de Kraftwerk, Joy Division, Soft Cell, Depeche Mode… Já gostei!

Tinha mais duas indicações, mas vou deixar pra outro dia, só pra poder atualizar mais aqui. Mesmo porque estes links aí já são suficientes para te divertir durante este fim de semana.

Aproveite o rock. E aproveite também pra ir tomar um solzinho e ativar sua vitamina D, pra não ficar velho logo. Eu tô indo.

Valeu!