Posts com Tag ‘Festival’

porao vh3

Por MARCUS VINÍCIUS LEITE e VICTOR RIBEIRO

elmatooO nome é meio diferente, difícil de memorizar, mas também difícil de esquecer. Quando comecei a pensar em bandas latinas, lembrei logo dessa que alegrava minhas já saudosas manhãs na faculdade em 2004, e que meu irmão, Daniel Cezar era muito fã e sempre me falava … lembrei do nome Él Mató a un Policia Motorizado. Um indie rock cru e leve, com um toque de noise rock que traz guitarras distorcidas sem tirar uma grande característica do som deles: ser tranquilizante sem ser sonolento. Muito disso vem das belas melodias, cantadas em espanhol com direito ao característico sotaque portenho.

Eles são bem reconhecidos no cenário alternativo latinoamericano, inclusive já tendo passado pelo Brasil algumas vezes. Após lançar um bom álbum de estréia em 2004, a banda se dedicou a uma trilogia de EPs, que simbolizam o nascimento, a vida e a morte. Começando por Navidad de Reserva, de 2005, que traz um tom melancólico. O segundo deles, Un Millón de Euros, é tranquilo e perfeito para se ouvir em uma tarde ensolarada e desocupada, trazendo letras que falam sobre amigos, amores, viagens. Fechando o trio, vem Día de Los Muertos, lançado no ano passado, que trata do fim do mundo, e consequentemente, do fim da vida.

Casando perfeitamente distorção com melodias calmas e batidas às vezes até dançantes, Él Mató é uma banda que recomendo para qualquer hora, e que defino como aquele tipo de música que fica marcado na memória como a trilha sonora de bons momentos, aqueles que causam até vontade de voltar no tempo para viver tudo de novo.

Él Mató a un Policia Motorizado será a segunda banda a tocar amanhã, sábado, primeiro dia de shows do Porão do Rock. Veja aqui a lista completa das bandas.

PORÃO NA ARGENTINA

Como se não bastasse um grupo argentino invadir – da melhor forma possível – o Porão do Rock, o próprio festival deve tomar conta de Buenos Aires, em uma edição menor, com dez bandas (seis argentinas e quatro brasileiras) nos dias 23 e 24 de outubro.

mundolivresaOs brasileiros que vão cruzar a fronteira serão os cariocas do Autoramas, que já são badalados pela América Latina; os brasilienses do Móveis Coloniais de Acaju, que prometem fazer bonito representando a sede do festival; os pernambucanos do Mundo Livre S/A (foto), que recentemente foram elogiados pela edição argentina da revista Rolling Stone, o que gerou uma curiosidade do público; e os goianos do MqN, que já lançaram disco lá e trazem como frontman o atual presidente da Associação Brasileira de Festivais Independentes (Abrafin), Fabrício Nobre, que também acumula a função de chefão da gravadora Monstro Discos. Entre os argentinos, o conselheiro do Porão do Rock Gustavo Sá citou Los Natas e, adivinhe… El Mató A Un Policía Motorizado.

Para ouvir mais, vale uma visita ao MySpace dos caras.

Para tuitar: http://wp.me/pdGj4-Dh

Em quase duas horas de apresentação, a banda de hardcore Dead Fish levantou o Arena Futebol Clube, em Brasília, nessa sexta-feira (11). O show do grupo de Vitória (ES) contou com a ajuda de um público que respondia enérgico a cada canção executada e que deu ligeiro trabalho aos seguranças.

Moshes rolavam do começo ao fim das músicas e não foram poucas as vezes em que o vocalista Rodrigo Lima pediu que as pessoas se afastassem um pouco do palco. Apesar do notável tumulto, o show correu sem maiores complicações.

O evento foi uma realização da Mundano Produções, com o auxílio luxuoso da produtora Bloco e das bandas Brown-Há e Cassino Supernova. Aliás, o vocal da Cassino Supernova João Victor Canizares, o Gorfo, fez uma participação especial numa das canções do Dead Fish.

Os shows começaram por volta das 21h, com as bandas Machina Rad, Dissônicos, Galinha Preta e Gramofocas. Grande destaque pra essa última, que até então se mantinha ausente do circuito de shows e festivais da cidade. Se o trio de punk rock havia perdido espaço e público durante sua ausência, com certeza reconquistou tudo de volta nessa noite.

Já o Machina Rad também merece destaque por ter feito – no que me disseram ter sido o primeiro show da banda – uma apresentação muito bem executada e cativante. Mesmo sendo o primeiro grupo a se apresentar, conseguiram quebrar o gelo da noite e trazer um número razoável de pessoas para frente do palco do Arena.

A festa permaneceu cheia até o final e terminou por volta das 4h da manhã. Hoje tem mais Dead Fish, desta vez no Festival Vaca Amarela, em Goiânia, onde os capixabas são o headline do dia. Os dois GARIS de Brasília estarão lá.

Para disseminar pelo Twitter: http://wp.me/pdGj4-Cz

É que o intrépido pessoal da Fósforo Cultural abriu a votação para escolher qual será o cartaz da 8ª edição do hypado festival Vaca Amarela. As artes foram feitas pelo pessoal da cena goiana, mesmo, mas as identidades ficarão ocultas até o fim da votação, que dará o prêmio de mil reais ao vencedor. Eis os finalistas (clique sobre as imagens para ampliar):

Printvaca02vaca03

Agora, que você já escolheu seu cartaz preferido do Vaca Amarela 2009, tem até o dia 7 de agosto para votar aqui. A festança está marcada para rolar de 10 a 13 de setembro. Os shows serão nos dias 11 (sexta-feira) e 12 (sábado), no Martim Cererê. Dentre as atrações confirmadas, Dead Fish e Canastra. Bacana, né?

autoramasAgora é oficial. Em entrevista no final da noite desta sexta-feira (24) ao programa Cult 22, da rádio Cultura FM, de Brasília (diga-se de passagem, uma rádio boa demais!) Gustavo Sá, conselheiro do Porão do Rock, confirmou para os dias 15 e 16 de agosto as seletivas para esta 11ª edição do festival, marcada para 18, 19 e 20 de setembro.

Para as seletivas, ainda dá tempo de inscrever sua banda no site do Porão, que voltou ao ar. O Gustavo, aliás, avisa que tanto as bandas que nunca tocaram quanto as que já se apresentaram no festival precisam se cadastrar no portal, mas somente aqueles que forem virgens de Porão do Rock conseguirão suas vagas assim. Além dos grupos que buscam uma vaga no festival mais concorrido do DF, Gustavo confirmou as apresentações de Krisiun e Ratos de Porão, no dia 15, e Autoramas (foto acima) e Raimundos (!), dia 16. As seletivas rolam num dos cartões-postais mais belos da capital: a Torre de TV. E o melhor: com entrada franca. “Só que pra ver as bandas grandes o pessoal vai ter de assistir à seletiva inteira, porque a gente vai botar uma abrindo e outra fechando cada dia, pra garantir que o público vai prestigiar as bandas de brasília também”, avisa Gustavo.

Antes disso, já neste sábado (25), rola mais uma edição do Pílulas Porão do Rock, que promete esquentar a cena com os shows de Nação Zumbi (leu o post anterior, né?), Móveis Coloniais de Acaju (que estão com disco novo nas prateleiras reais e virtuais) e Gilbertos Come Bacon. Veja o serviço no final deste post.

FESTIVAL SERÁ DIVIDO EM TRÊS DIAS

MUSEPoraodoRockO Festival Porão do Rock já se estabeleceu como um dos mais concorridos – e mais respeitados – do país. Se, no ano passado, a organização gastou uma grana para trazer o Suicidal Tendencies (EUA) e o Muse (Inglaterra) (ao lado, foto do show no festival do ano passado), desta vez a ideia é focar mais na cena brasiliense e entrar na festa pelo cinquentenário da capital.

Para o dia 18 de setembro, Gustavo anunciou palestras, oficinas e workshops. Os shows continuarão concentrados em dois dias (19 e 20). Os organizadores (e todos nós, também) ainda sonham com a possibilidade de realizar o Porão 2009 na Esplanada dos Ministérios, sem a cobrança de ingressos. Falta “apenas” fechar patrocínios para isso e/ou conseguir o que é mais difícil: o apoio do Governo do DF. Como os patrocínios podem surgir em cima da hora e o GDF ainda não deu nenhuma resposta, existe, sim, esperança.

ALÉM DA BACIA PLATINA

Outra novidade é que também está confirmada a realização do Porão do Rock na Argentina. Com ou sem gripe suína, os hermanos vão curtir o som de dez bandas (seis argentinas e quatro brasileiras) nos dias 23 e 24 de outubro.

mundolivresaSerá em Buenos e os brasileiros que vão cruzar a fronteira serão os cariocas do Autoramas, que já são badalados pela América Latina; os brasilienses do Móveis Coloniais de Acaju, que prometem fazer bonito representando a sede do festival; os pernambucanos do Mundo Livre S/A (foto), que recentemente foram elogiados pela edição argentina da revista Rolling Stone, o que gerou uma curiosidade do público; e os goianos do MqN, que já lançaram disco lá e trazem como frontman o atual presidente da Associação Brasileira de Festivais Independentes (Abrafin), Fabrício Nobre, que também acumula a função de chefão da gravadora Monstro Discos. Entre os argentinos, Gustavo Sá citou Los Natas e El Mató A Un Policía Motorizado.

Todos ao Porão!

SERVIÇO – Pílulas Porão do Rock

Shows: Gilbertos Com Bacon, Móveis Coloniais de Acaju e Nação Zumbi
Data: sábado (25 de julho), às 22h
Local: Arena Futebol Clube – Setor de Clubes Esportivos Sul (SCES), Tc, 3, em frente à AABB
Ingressos: R$ 20 antecipado (consulte pontos de venda no site) e R$ 25 na hora
Infos: (61) 3224-9401
Classificação: 16 anos

Essa é pra quem acha que aqui a gente só conhece Rio, São Paulo e Londres. O intrépido Fabrício Nobre, o homem-Monstro Discos/MQN, anunciou a programação do festival Bananada deste ano. Isso mesmo! Goiânia rock city vai cair no rock no fim de semana do próximo dia 22.

bananada09Ao todo, 41 atrações, incluindo uma alemã: 14 na sexta, 14 no sábado e mais 13 no domingo. Vou destacar aquelas que eu conheço – e acho bem boas. Na sexta, às 20h30, tem Shakemakers. Sábado é dia de Sangue Seco, às 20h; às 23h30 tem o próprio MQN; depois ainda rolam Lenzi Brothers (oh), Johnny Suxxx & The Fucking Boys (1h20) e, às 2h, oBlack Drawing Chalks fecha a tampa. Domingo é dia doMamelo Sound System (22h), do RiverRaid (23h40) e do Bang Bang Babies (0h10). E, certamente, tem mais um monte de bandas bacanas, mas que eu ainda não conheço e, por motivos óbvios, não poderia destacar. Bom, mas podemos conhecer. Basta clicar sobre os nomes das bandas.

Aliás, João Lucas, sei que você deve estar ocupado com os ensaios do Johnny Suxxx e tal, mas você bem podia escrever pra gente sobre o festival, hein? Fica o convite. Se mais alguém se interessar em relatar ou, simplesmente, encaminhar uma foto ou um vídeo, é só mandar que a gente publica.

Os ingressos custam R$ 15 por dia ou, então, R$ 35 o passaporte para os três dias de shows (cerca de 20 horas de som) no Martim Cererê.

Segue a programação do Bananada ’09 (eles sempre divulgam da última atração da noite para a primeira; acho que deve ser superstição da rapaziada de Gyn):

SEXTA FEIRA 22 / MAIO

02:00h Diego de Moraes e o Sindicato (Goiânia – GO)
01:20h Barfly (Goiânia – GO)
00:40h Rubinho Jacobina (Rio de Janeiro – RJ)
00:00h Filomedusa (Rio Branco – AC)
23:30h The Backbiters (Goiânia – GO)
23:00h Viana Moog (Porto Alegre – RS)
22:30h Perito Moreno (Goiânia – GO)
22:00h The Dead Lovers Twisted Hearts (Belo Horizonte – MG)
21:30h Arco Duo (São Paulo – SP)
21:00h Super Stereo Surf (Brasília – DF)
20:30h Shakemakers (Goiânia – GO)
20:00h The Pro (Brasília – DF)
19:40h Aircraft (Goiânia – GO)
19:20h Postfive (Goiânia – GO)

SÁBADO 23 / MAIO

02:00h Black Drawing Chalks (Goiânia – GO)
01:20h Johnny Suxxx & The Fuckin Boys (Goiânia – GO)
00:40h Damo Suzuki (ex – Can) (Alemanha)
00:00h Lenzi Brothers (Balneário Camburiú – SC)
23:30h MQN (Goiânia – GO)
23:00h Multiplex (São Paulo – SP)
22:30h Pop Armada (São Paulo – SP)
22:00h ZeroDoze (Porto Alegre – RS)
21:30h Nancy (Brasília – DF)
21:00h Technicolor (Goiânia – GO)
20:30h Hey Hey Hey (Porto Velho – RO)
20:00h Sangue Seco (Goiânia – GO)
19:40h T.S.A. (Jataí – GO)
19:20h Girlie Hell (Goiânia – GO)

DOMINGO 24 / MAIO

00:40h Mugo (Goiânia – GO)
00:10h Bang Bang Babies (Goiânia – GO)
23:40h The RiverRaid (Recife – PE)
23:00h Venus Volts (Campinas – SP)
22:30h The Brown Vampire Catz (Londrina – PR)
22:00h Mamelo Sound System (São Paulo – SP)
21:30h Spiritual Carnage (Goiânia – GO)
21:00h Projeto Manada (São Paulo – SP)
20:30h Fígado Killer (Goiânia – GO)
20:00h Versus AD (Goiânia – GO)
19:30h Grupo Porco de Grindcore Interpretativo (Belo Horizonte – MG)
19:00h Boddah Diciro (Palmas – TO)
18:40h Sattva (Goiânia – GO)

Eu não curto Carnaval. Falo logo! Tava ontem lá no Rio Music Conference (ainda hoje o que rolou nestes dois dias e posto fotos do segundo dia), trabalhando ao som de música eletrônica – durante quase todas as mais de 20 horas de trabalho, basicamente só tocaram variações de house music.

Pode não ser a coisa mais criativa do mundo 18 sets (alguns solos, alguns em trios e a maioria em duplas) de house music, mas juro que é melhor do que ouvir ritmos carnavalescos. Pra mim, tá?

Mesmo porque, vem trio elétrico, vai trio elétrico, e também é tudo a mesma coisa.

Tem gringo no Carnaval. Mas não é no samba

Berlin Loop: tem gringo no Carnaval. Mas não é no samba

Bom, o lance é que começa oficialmente hoje, em mais de 40 cidades pelo país, o festival Grito Rock. Trata-se do maior festival simultâneo de rock da América do Sul. Não tenho informações para afirmar com certeza, mas provavelmente é o maior festival simultâneo independente do mundo. Procure no site oficial, que deve rolar um aí na sua cidade.

Aqui no Rio, o Grito Rock vai de hoje até domingo e, logo na estréia, apresenta a banda alemã Berlin Loop no line up. Legal também é que vão rolar sets de DJs que movimentam a cena underground e, além de discotecar, ajudam uma cacetada de bandas independentes: Pax e Muniz hoje, Renato “Jukebox” Lima amanhã e Terror no domingo.

Por aqui, a equipe continua a mesma desde a estréia, em 2007: os entusiastas do rock independente Jô Rocha e Pedro de Luna e o também intusiasta, músico e (ótimo) técnico de som Flávio Petit.

Carnaval está aí. Já é possível ouvir algumas batucadas distantes e sentir o cheiro de lança-perfume no ar…  Comentamos inclusive por aqui, sobre o Imprensa que eu Gamo – bloco carnavalesco dos coleguinhas jornalistas. Esta é apenas uma das opções para a galera que se amarra em curtir o carnaval de rua do Rio de Janeiro.
Porém, existem pessoas que não suportam samba, marchinhas, espuma na cabeça, e toda aquela alegria característica do feriado mais popular do Brasil. Alguns se escondem em cidades pequenas do interior, tentando fugir da festa do Momo, outros, mais quebrados de grana, se escondem eu seus quartos mesmo, esperando a poeira baixar.

Só que de uns anos pra cá, foram criados alguns eventos alternativos ao carnaval tradicional como o Psycho Carnival e o Festival Grito Rock.

Já conceituado na região sul do país, o Psycho Carnival,  festival de psychobilly, que acontece entre os dias 21 e 23 de fevereiro, em Curitiba, acaba de anunciar suas atrações.

Além das bandas da cena nacional, o festival traz ao país nomes estrangeiros do estilo como Klingonz (Inglaterra), Cenobites (Holanda), Frantic Flintstones (Inglaterra / Brasil), Wrecking Dead (Dinamarca / EUA), Los Primitivos (Argentina), Chibuku (Alemanha) e Salidos de la Cripta (Colômbia).

Os shows propriamente ditos serão realizados no Clube Operário e nas Ruínas de São Francisco, entre os dias 21 e 23.

Entre outras curiosidades, o evento programou uma “Zombie Walk” no Cemitério Municipal da cidade e uma oficina com aulas de baixo, bateria e guitarra.  As inscrições podem ser feitas através do site www.psychocarnival.com.br.

Já o Grito Rock é um festival bem mais amplo. O evento é realizado, simultaneamente, em cerca de 40 cidades da América do Sul, entre 8 de fevereiro e 7 de março. Neste período, as tradicionais marchinhas carnavalescas dão mais uma vez lugar aos riffs das guitarras do Oiapoque ao Chuí do Brasil, além da América do Sul.