Posts com Tag ‘Coldplay’

Eis que a gente – sempre ligado na CNN e no Gigwise (quando não está vendo Big Brother, Glee ou Two and a Half Men) – não viu que o Bono já havia se mobilizado pelas vítimas no Haiti e perguntou no Twitter onde ele estava.

A sempre querida Selma Boiron avisou que já havia falado sobre o Bono na quarta-feira (dia 20), no seu programa Rádio Café, na emissora carioca da rede Oi FM. Vamos ler a nota dela!

Vamos mandar um salve a tds os q, de alguma forma tem ajudado as vítimas do terremoto no Haiti. O DJ Jesus Luz q desfilou pela Ellus ontem na SPFW, tocou na festinha pós-desfile da marca e anunciou q a festa de hoje no Royal Club paulistano terá toda renda revertida em prol do Haiti. O evento de logo mais vai se chamar mto propriamente “Luz no Haiti”. Scarlett Johansson tb encontrou sua forma de ajudar o Haiti: está leiloando, pela internet, um encontro seu com o fã que der o melhor lance. E a lista de participantes no show Hope for Haiti q acontece sexta-feira com apresentação de George Clooney na TV americana não para de crescer! E, agora, ficou globalizado e o Coldplay confirmou em sua página oficial na web que também vai participar. O haitiano Wyclef Jean, Bruce Springsteen, Jennifer Hudson, Mary J.Blige, Shakira e Sting se apresentam em Nova York. Alicia Keys, Christina Aguilera, Dave Matthews, John Legend, Justin Timberlake, Stevie Wonder, Taylor Swift e um grupo q reúne Sheryl Crow e Kid Rock se apresentam em Los Angeles. E, os britânicos Bono e The Edge do U2 se unem a Jay-Z e Rihanna em Londres onde tb se apresenta o Coldplay. No dia seguinte, 23 de janeiro, todo o material registrado estará à venda pela internet e a renda revertida às vítimas do terremoto do Haiti.

Então é isso, pessoal. Todo mundo se mobilizando pelo Haiti e a gente do LIXEIRA DO POP, que não pode fazer muita coisa, espera de coração que os países ricos façam a sua parte: perdoem as dívidas desses países muito pobres, para que possam ter um mínimo de infraestrutura para se prevenir de catástrofes e do caos social causado pela extrema miséria. É bonito ajudar depois, mas dezenas de milhares de vidas já se perderam. A ajuda mais importante é aquela que ajuda a prevenir catástrofes como esta.

Ah, os shows de hoje serão transmitidos por quatro emissoras de TV e, ao menos a CNN deve transmitir pra gente aqui, via TV a cabo.

De acordo com a Folha Online, “a MTV exibe hoje, a partir das 23h, o Teleton ‘Hope for Haiti’, evento mundial para arrecadar fundos para o país caribenho atingido por terremotos. Justin Timberlake, Rihanna, Shakira e Coldplay estão entre os shows confirmados”.

Tuíte-nos: http://wp.me/pdGj4-Fo

Lembra Viva la Vida, do Coldplay? Esqueça! Ouça a versão da Lady GaGa, no Live Lounge, da Radio One:

Nem tem mais o que comentar, né? Simplesmente sensacional!

Tuíte-nos: http://wp.me/pdGj4-EM

De Coldplay a MC Hammer, passando por Ashton Kutcher, Britney Spears, Arnold Schwarznegger e até um dos Jonas Brothers. Todos usam o Twitter para se despedir de Michael Jackson.

Como é la vida, não? Tô eu num debate esquentadinho com o leitor Rafael e eis que:

plagiocoldplaycatstevens

Mas aí já virou zoação. Até eu, qualquer hora, vou inventar uma música e dizer que o Chris Martin plagiou!

Fato é que o Cat Stevens mudou de religião e mudou de nome. Agora quer mudar o mundo zoando o coleguinha.

Na real, a música do Stevens não tem NADA que tenha a faixa Viva la Vida. Pelo menos não que eu tenha conseguido ouvir. Afinal, a semelhança com o Joe Satriani era indiscutível. Se você está curioso, perca 9 minutos e pouco para ouvir a música do Cat Stevens aqui e concordar comigo.

Dessa você se safou, Chris Martin! Tá feliz, Rafa?

Bono – o criador -, que nunca reclamou de um pernilongo atrapalhando seu sono, disse que Chris Martin – a criatura – era um punheteiro… hauahuahaua. Juro! Palavras dele. Em rede nacional no Reino Unido. De acordo com a Folha Online:

A entrevista com Bono foi ao ar no dia 27 e, segundo o “Daily Mail”, no mesmo dia seis reclamações foram recebidas pela rede. Na manhã daquele dia, Bono, em entrevista na Radio 1 para a DJ Jo Whiley chamou Martin de uma palavra vulgar que quer dizer “masturbador”.

A DJ imediatamente pediu que Bono se desculpasse. Ele o fez, mas complementou dizendo que Martin tinha um caráter cretino e que os comentários eram uma brincadeira.

Diz que perguntaram se o líder do U2 considerava Martin tão bom músico quanto Paul McCartney. Queriam que respondesse o que, né? Ele falou que Chris Martin até era bom de melodia, mas também é um wanker (vocábulo censurado no Reino Unido). Ou seja, as atitudes paunocu do vocalista do Coldplay tiraram até o Bono do sério. E olha que o Martin é o maior Bono wannabe. Shame on you Chris Martin!

Ah, bom lembrar que o disco novo do U2, No Line On The Horizon, está bem fraquinho e o Bono, marqueteiro do jeito que é, precisa aproveitar qualquer espaço pra aparecer na mídia e dizer que o disco é revolucionário e tal. Então, vale tudo, fia! Até baixaria com o seu imitador de luxo, mister Martin. Nós somos contra divulgar este tipo de baixaria, mas como o alvo era o Chris Martin, abrimos uma exceção.

O frontman do Coldplay, aliás, ainda não comentou o insulto. A última postagem no blog da banda é das oito e pouca da noite do próprio dia 27 de fevereiro, mas passa longe de tratar do assunto.

Olha, eu adorei o U2, Paul McCartney + Dave Grohl na batera, nem se fala! Confesso que eu não sou assim fã do Radiohead, acho que o Thom Yorke tem zicas demais pra mim, que já tenho as minhas… Mas meu momento favorito do Grammy 2009 foi a performance ultra-ziquenta do Radiohead, com participação da banda marcial da Universidade do Sul da Califórnia. Ficou supéééérrrrr…

OMG, I s2 Marching Bands!

E você que assistiu? Curtiu qual momento?

P.S.1: O que foi aquela dancinha do Jay-Z, ao se apresentar ao lado do Coldplay? O cara parecia um “The Sims” se mexendo.

P.S.2: O que foi o figurino da M.I.A?

PS.3: Whitney Houston, bêbada como sempre, tá com os olhos tão puxadinhos que nem consegue mais abrí-los. Japonesa Elza Soares style!

P.S.4: Coldplay ganhou “Canção do Ano” com Viva La Vida e NEM AGRADECEU AO SATRIANI! Pelo menos pediram desculpas ao Paul McCartney por terem copiado descaradamento o figurino de “Sgt. Peppers”.

"Uhm, esqueci alguém?"

"Uhm, esqueci alguém?"

Se você não viu nada disso porque não conferiu o Grammy, tem reprise na Sony dia 15/02, às 20h. Confira os vencedores aqui.

Mais um ano, mais um Grammy… confesso que gosto de ver essa papagaiada pelos shows. Premiação é meio chato, mas enquanto eles estão na lenga-lenga você pode ir colocando a pipoca no microondas. Os momentos “reunião-dos-artistas” é o mais legal, não me esqueço o quanto gostei de ver John Mayer + Corinne Bailay Rae + John Legend há uns 2 anos. Ano passado, nada que eu me lembre a não ser a cara de besta da Amy (“Maaaa Blake encarcerated!!!!” MOR-RI DE RIR!)  e o Mark Ronson ganhando o prêmio de produtor (pulinhos!).

Amy com cara de “O QUÊ?”

Esse ano, a Sony exibe a 51ª edição da cerimônia esse domingo (08), a partir das 23h – ao vivo de LA. Reprise dia 15/02, às 20h. A Sony tá fazendo uma série de chamadas bem espirituosa pro evento. O tema é “O futuro da música está em boas mãos”, com textos assim: “Pra ser candidato ao Grammy, tem que ser O-RI-GI-NAL” – entra imagem do Coldplay com uma faixa onde se lê “PROCESSADOS”, ou ainda “Para ser candidato ao Grammy, deve ter um imenso fã-clube, uma estratégia de marketing arrasadora e fazer todo mundo cantar por você” – entram os Jonas Brothers! No fim, a declaração irônica: O futuro da música está em boas mãos… ê lê lê!

Mas então, o rapper Lil Wayne e o Coldplay lideram em número de indicações – levaram oito e sete, respectivamente. Algumas das categorias mais importantes:

Se não rolar Grammy, que tal um Oscar de figurino?

Álbum do Ano
Viva La Vida Or Death And All His Friends – Coldplay
Tha Carter III – Lil Wayne
Year Of The Gentleman – Ne-Yo (quem???)
Raising Sand – Robert Plant & Alison Krauss
In Rainbows – Radiohead (olhaaaa! o álbum do “quem dá mais!”)

Música do Ano
American Boy – Estelle e Kanye West
Chasing Pavements – Adele (Estilo Amy, porém poderia quebrar a Amy em 3)
I’m Yours – Jason Mraz (tô por fora…)
Love Song – Sara Bareilles (acho essa música chata por demais)
Viva La Vida – Coldplay (se o Coldplay levar, será que vai agradecer ao Satriani?)

Melhor Artista Revelação
Adele
Duffy (estilo Amy, mas com voz mais chatinha)
Jonas Brothers
Lady Antebellum (tô por fora…)
Jazmine Sullivan (tô por foraaaaaaaa… Isso é que é Revelação! Ninguém nem sabe ainda! rs)

Melho Álbum de Música Pop
Detours – Sheryl Crow
Rockferry – Duffy
Long Road Out Of Eden – Eagles (do Hotel California?)
Spirit – Leona Lewis
Covers – James Taylor

Melhor Álbum de Rock
Viva La Vida Or Death And All His Friends – Coldplay
Rock N Roll Jesus – Kid Rock
Only By The Night – Kings Of Leon
Death Magnetic – Metallica
Consolers Of The Lonely – The Raconteurs

Melhor Álbum de Música Alternativa
Modern Guilt – Beck (amo!)
Narrow Stairs – Death Cab For Cutie (amo! Não sei pra quem torcer…)
The Odd Couple – Gnarls Barkley (o Danger Mouse, inclusive, produziu o do Beck…)
Evil Urges – My Morning Jacket
In Rainbows – Radiohead (“dou 5 pila…”)

E os shows ficam por conta do U2, Coldplay, Miley Cyrus e Taylor Swift (kids!), Estele e Kanye West, Jennifer Hudson, Jonas Brothers, Kid Rock, Lil Wayne (no VMA esse cara fez playback…), Paul McCartney e Dave Grohl na batera (UAU!), Katy Perry (desafinou feião no VMA, eu quase tava pedindo playback…), Radiohead (sério?), Rhianna, Justin Timberlake (esses são mó arroz, tão em todas…).

Então. Esse Lil Wayne afinal, coé a dele? O cara é um rapper tipo bagaceiro mesmo (ou como eles gostam de dizer, gangsta), feioso e esquisito, com letras naquele estilo “leve”. Mas a criançada adora (sim, eu disse “criançada”, o cara é o xuxexo entre os adolas americanos). Claro, ele já foi preso por posse de arma e drogas. Claro, a música que atingiu os primeiros lugares das paradas manda a interlocurora fazê-lo de pirulito. Com seu álbum, Tha Carter III, ele está sendo considerado o melhor rapper que há. Eu não sou crítica de música profissional, muito menos saberia criticar rap, mas é engraçado quando a pessoa gosta do que tá criticando. Essa da Rolling Stone diz que Lil Wayne zoa esse negócio de se vender ao sucesso ao criar uma música de sucesso “Lollipop”, a tal do pirulito, sucesso aqui também). Tenho certeza que se não gostasse do Wayne iria dizer que ele era um vendido mesmo, oras!

Ok, quem leva Grammy então? Amanhã a gente descobre.

MAS ADMITE CHUPADA. UI!

Tô nem ai, tô nem ai

Tô nem aí, tô nem aí

Vimos esta semana no site do New Musical Express: o Chris Martin jurou de pés juntos que foi ele quem escreveu Viva La Vida e qualquer semelhança com um solo do Satriani ou a linha vocal de uma banda indie é mera coincidência. Bom, achamos natural ele negar. Já era até esperado, inclusive (leia abaixo VIVA LA VIDA). Ah, ele também disse que, devido às acusações de plágio – coitado – a banda teve uma briga feia e quase acabou.

Não escrevemos aqui porque achávamos que poderia surgir algo mais… interessante. Na mosca! O vocalista do Coldplay deu uma entrevista ontem para a Radio 1, da BBC, e admitiu que uma das melhores canções da banda, Shiver, lançada em 2000, é “chupada” de Jeff Buckley. Como o Chris não aparece pra dar só uma declaração bombástica (a exemplo de: “não plagiei” / “a banda quase acabou”), ele aproveitou pra dizer que os shows que estão rolando em Londres poderiam ser muito melhores e, numa escala de zero a dez, deu nota três para as atrações desta semana.

VIVA LA VIDA

Make music fair

Make music fair

Não precisamos dizer que não acreditamos no Chris Martin. Até achamos que, a exemplo do que fez ontem, daqui a uns dez anos – ou quando o Coldplay finalmente acabar (finalmente pra ele, ok? – leia sobre o fim da banda a seguir), ele virá a público e contará toda a verdade. Seja na Radio 1, seja no Silvio Santos, seja na Márcia. Um dia a verdade aparecerá. Enquanto isso, vamos vivendo la vida.

Em tempo: a música é ótima, o disco do Coldplay está bem bacana e faz jus às sete indicações ao Grammy. Só podia rolar um cadinho mais de sinceridade, mas entendemos que admitir um plágio antes de ganhar o Grammy é um senhor tiro no pé. Esperemos a premiação.

FIM DO COLDPLAY? PERGUNTE AOS GALLAGHER

Ninguém deve torcer tanto pelo fim do Coldplay quanto o próprio Chris Martin. O cara adora espalhar por aí que a banda está próxima do fim, que a banda quase acabou, que em breve o grupo vai se separar… O que é isso? Jogada de marketing? Chris, isso é coisa de moleque e nem pega bem uma pessoa da sua idade ficar fazendo isso. Se continuar assim, o fim do Coldplay será algo do tipo “fim de Sandy & Junior”, com direito a tour de despedida, muita grana no bolso e os fãs é que se danem.

Noel Gallagher + Chris Martin

BFF: Noel Gallagher + Chris Martin

Sério! Achamos que alguém deveria perguntar aos irmãos Gallagher o que eles pensam sobre o fim do Coldplay, o plágio de Viva La Vida e a chupada de Shiver. Seria, sem dúvida a melhor análise dos casos. Detalhe é que o Noel é (ou era; não sei) amiguinho do Chris Martin e já havia até brigado com o Liam por causa dessa amizade. Que lindo! O lance é que, de uns tempos pra cá, o Noel anda concordando muito com o Liam. E o Liam acha o Chris Martin um grande babaca. Sem problemas, pensamos o mesmo sobre ele. Peraí! Sobre “ele” quem: o Liam ou o Chris? Hmmm… os dois, dependendo da ocasião. Aliás, veja Noel e Chris Martin tocando Yellow:

OU SERÁ QUE ELES ‘SÓ’ DESCOBRIRAM A RECEITA DO SUCESSO?

Vou escrever mesmo e não adianta ficar revoltadinha, não! Era outubro de 2007 quando o tiozinho Peter Van Wood, holandês radicado na Itália, pediu um milhão de euros ao Coldplay, que teria plagiado a sua Caviar and Champagne na música Clocks, lançada pelo grupo de Chris Martin no ano 2000. Veja o vídeo a seguir e tire suas conclusões:

O lance é que, dessa vez, eles se superaram: uma só música parece ter dois criadores. E nenhum deles faz parte do Coldplay. O primeiro deles a gritar foi Andrew Hoepfner, vocal da banda indie americana Creaky Boards. No vídeo que ele colocou no YouTube (veja abaixo), tem até imagens feitas em maio de 2007, que comprovariam o plágio. Ainda segundo o cantor, Chris Martin teria ido a um show do Creaky Boards em outubro do ano passado e parecia estar gostando – o que deixara a banda muito contente. Mal sabiam eles que Chris Martin havia gostado demais da música de profético nome: The Songs I Didn’t Write (As Músicas Que Eu Não Escrevi). Tanto que até a usou para compor a música Viva La Vida, lançada em maio deste ano como segundo single do disco homônimo. Abaixo, o vídeo que compara as linhas vocais da música de Hoepfner e do Coldplay:

Mas é preciso mais do que uma linha vocal boa para fazer um sucesso. É aí que entra o segundo acusador: ninguém menos que Joe Satriani, com a faixa If I Could Fly, lançada – veja só – em 2004, no disco Is There Love in Space?. Nem tem muito o que comentar. Só repare que é A MESMA MÚSICA da  acusação acima, Viva La Vida. Segue o vídeo comparando as duas faixas:

Mesmo sob essas suspeitas, Viva La Vida foi indicada na última quinta-feira ao Grammy 2009. A faixa vai concorrer a sete gramofones, entre eles o de gravação do ano e de música do ano. Também alcançou o topo de paradas importantíssimas, como o Hot 100 da revista americana Billboard, a parada de singles do Reino Unido e a Euro 200. E isso nos faz pensar em três coisas:

1. o Coldplay pode ser canalha, mas até que tem boas influências;
2. receita do sucesso: pegue uma linha vocal novinha indie, que ninguém conheça, e misture com um riff que um guitarrista bonzão lançou há alguns anos, mas que ninguém consiga lembrar direito. Corre o risco de você concorrer ao Grammy;
3. já temos toda a concepção de uma banda – ã-ran, ã-ran, os GARIS vão criar uma banda – mas ainda não decidimos de quem vamos roubar as “nossas” músicas. Precisamos pensar nisso com urgência!

prospektsmarchcoverDois lançamentos aguardadíssimos chegam hoje às lojas físicas e virtuais do mundo inteiro: o EP Prospekt’s March, do Coldplay, e o álbum Day and Age, do Killers (que a gente comenta ao longo da semana). Na real, já rolaram uns pré-lançamentos, mas a data oficial é mesmo 25 de novembro.

Talvez o motivo de maior curiosidade sobre o lançamento do Coldplay tenha sido o fato de eles terem chamado o rapper Jay-Z para fazer uma participação especial na faixa Lost? (no EP ficou Lost+), que a banda está “trabalhando” bastante nas últimas semanas. Depois de lançarem a música no disco Viva la Vida or Death and All His Friends, rolou uma versão acústica (lançada numa edição de luxo do álbum). Aí, postaram versões ao vivo no YouTube – uma delas considerada o clipe oficial – e pediram pros fãs fazerem um outro videoclipe, em cima da versão acústica (abaixo, mais informações sobre esta promoção).

De fato, a faixa é boa, mas a participação do Jay-Z, provavelmente, será mais surpreendente para os fãs do rapper do que para quem curte o som de Chris Martin e companhia, já que o convidado incorpora o estilo dos anfitriões e não muda muita coisa na música.

No mais, o disco reúne outras sete canções. Algumas muito boas, como Life in Technicolor II, que tem a mesma pegada do disco, mas no EP tem letra. Esta música, aliás, tem um clima tão… “lá vêm eles!”, que o Coldplay usou para abrir o Viva la Vida, para iniciar os shows dessa turnê e, agora, para dar as boas vindas neste EP. Em seguida, vem a primeira totalmente inédita, Postcards From Far Away, esta sim instrumental, que parece ter saído de uma caixinha de música, daquelas com a bailarina girando e tudo. Segue com Glass of Water e a certeza de que estamos ouvindo um disco do Coldplay. Música bem produzida e que provavelmente funcionará bem nos shows.

Rainy Day poderia sugerir algo mais triste que a melancolia tipicamente britânica dos caras, mas é aí que “rá! caiu na pegadinha do Mallandro! glu glu”. Se falassem que a canção não era do quarteto londrino, mas do Supergrass, era bem capaz de eu acreditar. A seguir, a faixa que dá título ao disco. Esta, sim, bem triste. Bem Londres, cinza, chuvosa, fria. Vem, então, Lost+, que já comentamos, e, depois, mais um som que estava no Viva la Vida, mas em outra versão. Desta vez Lovers in Japan aparece numa versão remixada, mais animada. O EP termina com Now My Feet Wont Touch the Ground, que nos remete a uma trilha sonora daqueles filmes que se passam em meio aos plantations norte-americanos ou aos vinhedos da França – veja o filme “Um Bom Ano” (A Good Year, dir. Ridley Scott, EUA, 2006), que você entenderá.

No final das contas, Prospekt’s é um disco legal e sob medida. Talvez ficasse chato se fosse um LP, com mais umas quatro faixas pra encher lingüiça. Melhor assim. Ao que tudo indica, o Coldplay vai investir em lançamentos deste tipo, já que Chris Martin tem dado a entender que o fim da banda pode estar próximo. Recentemente ele declarou que não quer que o Coldplay seja mais uma banda de coroas sem energia e com visual cafona. Mas jura que eles ainda têm trinta e poucos anos e se vestem bem. Pra completar, prometeu lançar o maior número de discos possível até o fim do grupo.

chrismartinshowChris Martin durante um show este mês
nos EUA, com a mesma camiseta de sempre

LANÇAMENTO NO BRASIL E PROMOÇÕES

Por aqui, o lançamento do EP Prospekt’s March ainda não tem data para ocorrer de forma física, talvez porque não faça mesmo parte da cultura brasileira ir a uma loja comprar um single ou um EP. Dá pra comprar o disco no site Sonora, por R$ 19,92, ou, então, baixar as faixas separadas, por R$ 2,49 cada. O bom é que o Coldplay anunciou que todo mundo que comprar as músicas dessa versão digital, inclusive aqui no Brasil, concorre a um vinil exclusivo do álbum Viva la Vida.

Já o fã que fizer o melhor vídeo para a versão “voz e piano” de Lost?, terá seu clipe postado na “home” do site da banda e vai ganhar entrada VIP para “o melhor lugar na casa de shows” durante uma apresentação marcada para o mês que vem, em Londres, com passe de backstage, sem contar que a viagem e a hospedagem são por conta da banda. Interessou, é? Clique aqui para participar.

LISTA DE FAIXAS DO EP PROSPEKT’S MARCH

1. Life in Technicolor II
2. Postcards From Far Away
3. Glass of Water
4. Rainy Day
5. Prospekt’s March
6. Lost+ (part. especial Jay-Z)
7. Lovers in Japan (Osaka Sun Mix)
8. Now My Feet Wont Touch the Ground