Posts com Tag ‘CNN’

Eis que a gente – sempre ligado na CNN e no Gigwise (quando não está vendo Big Brother, Glee ou Two and a Half Men) – não viu que o Bono já havia se mobilizado pelas vítimas no Haiti e perguntou no Twitter onde ele estava.

A sempre querida Selma Boiron avisou que já havia falado sobre o Bono na quarta-feira (dia 20), no seu programa Rádio Café, na emissora carioca da rede Oi FM. Vamos ler a nota dela!

Vamos mandar um salve a tds os q, de alguma forma tem ajudado as vítimas do terremoto no Haiti. O DJ Jesus Luz q desfilou pela Ellus ontem na SPFW, tocou na festinha pós-desfile da marca e anunciou q a festa de hoje no Royal Club paulistano terá toda renda revertida em prol do Haiti. O evento de logo mais vai se chamar mto propriamente “Luz no Haiti”. Scarlett Johansson tb encontrou sua forma de ajudar o Haiti: está leiloando, pela internet, um encontro seu com o fã que der o melhor lance. E a lista de participantes no show Hope for Haiti q acontece sexta-feira com apresentação de George Clooney na TV americana não para de crescer! E, agora, ficou globalizado e o Coldplay confirmou em sua página oficial na web que também vai participar. O haitiano Wyclef Jean, Bruce Springsteen, Jennifer Hudson, Mary J.Blige, Shakira e Sting se apresentam em Nova York. Alicia Keys, Christina Aguilera, Dave Matthews, John Legend, Justin Timberlake, Stevie Wonder, Taylor Swift e um grupo q reúne Sheryl Crow e Kid Rock se apresentam em Los Angeles. E, os britânicos Bono e The Edge do U2 se unem a Jay-Z e Rihanna em Londres onde tb se apresenta o Coldplay. No dia seguinte, 23 de janeiro, todo o material registrado estará à venda pela internet e a renda revertida às vítimas do terremoto do Haiti.

Então é isso, pessoal. Todo mundo se mobilizando pelo Haiti e a gente do LIXEIRA DO POP, que não pode fazer muita coisa, espera de coração que os países ricos façam a sua parte: perdoem as dívidas desses países muito pobres, para que possam ter um mínimo de infraestrutura para se prevenir de catástrofes e do caos social causado pela extrema miséria. É bonito ajudar depois, mas dezenas de milhares de vidas já se perderam. A ajuda mais importante é aquela que ajuda a prevenir catástrofes como esta.

Ah, os shows de hoje serão transmitidos por quatro emissoras de TV e, ao menos a CNN deve transmitir pra gente aqui, via TV a cabo.

De acordo com a Folha Online, “a MTV exibe hoje, a partir das 23h, o Teleton ‘Hope for Haiti’, evento mundial para arrecadar fundos para o país caribenho atingido por terremotos. Justin Timberlake, Rihanna, Shakira e Coldplay estão entre os shows confirmados”.

Tuíte-nos: http://wp.me/pdGj4-Fo

Há exatos 40 anos o homem finalmente pousava na Lua. Pelo menos é isso o que conta a História oficial.

No entanto, as dúvidas sobre esta conquista norteamericana, em plena Guerra Fria (que por causa disso, teve conotação essencialmente política e não científica), pipocam por aí. O site A Fraude do Século, por exemplo, detalha o que teria sido esta “pegadinha”, baseado em contradições presentes nas fotografias originais da própria Agência Espacial Norteamericana (Nasa).

Sei que esse assunto rende tanto, que neste domingo a rede CNN transmitiu nas edições do telejornal World News uma reportagem especial sob a vinheta Moon Landing: 40th Aniversary (Pouso na Lua: 40º Aniversário), com os questionamentos dos cientistas, e, em 2001, o pessoal do canal de TV Fox fez o especial Conspiracy Theory: Did We Land On The Moon? (Teoria da Conspiração: Nós Pousamos Na Lua?). Vamos ver? São cinco partes, legendadas em português:





Isso não seria um assunto para os Caçadores de Mitos, do Discovery Channel? Pois é. Eles também já falaram sobre a (não) ida do homem à Lua:





Assim como todo mundo que curte cultura pop, a LIXEIRA DO POP foi destampada nesta sexta com aquela sensação de quem ainda não acredita no que viu ontem na CNN: Michael Jackson is dead.

Pensamos: pode ser mentira! Só acredito quando o William Bonner falar. Quando o Jornal Nacional começou, às 20h15, a notícia ainda era dada com ressalvas. Na internet, já havia a certeza, mas um erro no JN tem proporções muito maiores. Melhor ficar na retranca. Não teve jeito: era verdade! Logo agora que ele estava conseguindo reerguer uma carreira derrubada por sucessivos escândalos – acho, sinceramente, que ele foi a vítima na maioria das vezes.

Durante o dia é claro que vamos falar muito sobre o mito, que morava na Terra do Nunca e fez um senhor sucesso nos anos 60 e 70 com os seus irmãos, no Jackson 5, cantando que “A-B-C/ Fácil como 1-2-3/ Ou simples como dó-ré- mi/ A-B-C, 1-2-3, querida, você e eu”:

ronaldomicrofoneEssa é pra quem ficou com pena do Ronaldo, após o Fofômeno </ZéSimão> ter sido atingido pelo microfone de um repórter. Importante dizer que a culpa não foi do repórter, mas do segurança do jogador, que tentava – acredite – protegê-lo.

Os dois vídeos a seguir eu achei no recém-nascido blog do Paulinho Calça Frouxa. Veja só que torcedor animado, comemorando a vitória do Atlético de Bilbao. :

E o que me dizem do repórter da CNN Pedro Pinto reclamando do ataque dos torcedores?

Esse tipo de sufoco não é exclusividade dos coleguinhas estrangeiros, não. Aqui no Brasil, volta e meia rola algo do tipo:

há 20 anos

1ª digital: há 20 anos

Não sei se as pessoas que estão de fora conseguem perceber isso, mas pra gente, que trabalha com jornalismo, as inovações tecnológicas só são percebidas basicamente em três situações: Copas do Mundo, Olimpíadas e guerras envolvendo grandes potências. Isso porque estes três “eventos” possuem relevância mundial. A primeira transmissão de alta definição foi feita na Copa do Mundo de 2002, apesar de ninguém ter em casa uma TV HD. As câmeras fotográficas digitais estrearam nas redações durante as Olimpíadas de 1992 (as primeiras com mídias removíveis, como conhecemos hoje, foram produzidas quatro anos antes pela Fuji), mas começaram mesmo a ganhar importância na Copa de 94.

Videofone da CNN no Afeganistão, em 2001

Videofone da CNN no Afeganistão, 2001

A Guerra do Golfo, que começou em 1990, ficou marcada por ter sido a primeira transmitida ao vivo, via satélite, para o mundo inteiro, pela rede CNN. Em 2001, novamente a CNN, lançou o videofone, que integra internet e telefonia celular via satélite para transmitir reportagens de TV, tornando-se indispensável nas grandes emissoras do mundo, principalmente durante a invasão estadunidense ao Afeganistão. A qualidade das imagens era sofrível. Um ano e meio depois, na Guerra do Iraque, a transmissão de dados em alta velocidade  (a tal transmissão em broadcast) permitia maior independência das emissoras presentes em relação às agências de notícia, maior qualidade e maior rapidez. Finalmente, as Olimpíadas de Pequim vieram para provar que, sim, a TV digital tem lá suas falhas ainda, mas veio pra ficar.

Mas o que Barack Obama tem a ver com tudo isso? É que, pela primeira vez uma emissora de TV transmitiu, ao vivo, uma “conversa” entre um âncora e o holograma de uma comentarista. Parece De volta para o futuro, mas aconteceu na noite de ontem, na CNN e você pode conferir abaixo. Isso dá dimensão global à eleição presidencial daquele que, gostemos ou não, é o país mais importante do mundo, onde começou há dois meses uma crise econômica mundial, de duração e efeitos ainda desconhecidos. Para a CNN, a elição nos EUA tem relevância de um grande evento mundial, como uma Copa do Mundo, as Olimpíadas ou uma grande guerra. Tecnologicamente a novidade é estupenda! E, felizmente, nenhum lugarejo precisou ser bombardeado para que esta inovação fosse apresentada ao mundo. Veja: