Arquivo da categoria ‘Momento TV Fama (ok, ok)’

courtney_love_AW_1L170609

“Ai, vocês do LIXEIRA DO POP são tããão maus!”

Nada disso, nem! Chama-se Nobody’s Daughter (Filha de Ninguém) o disco novo do Hole, bandão da Courtney Love, que volta em grande estilo e com disquinho de inéditas, que deve ser lançado no final deste ano ou início de 2010. E grande estilo é grande estilo: tem aquela “mocinha” do 4-Non Blondes dando uma força e o Billy Corgan, do Smashing Pumpkins, trabalhando no “buraco” desde 2005. E isso não é uma novidade.

Corgan (que foi amante da Courtney na época do Kurt :O) foi parceirão no petardo Celebrity Skin (1998). Compôs algumas faixas e até tocou baixo na faixa Hit So Hard, mas nem recebeu o crédito por isso. Mas se ele não se importa, quem sou eu pra reclamar? E isso também não é exatamente uma novidade. Em 1993 o Hole apareceu com a música Old Age, no lado-b do single Beautiful Sun. Só que em 1998 o jornal The Stranger, de Seattle, conseguiu uma gravação da mesma faixa com o Nirvana. E o Krist Novoselic não apenas confirmou que a canção era do Nirvana, como revelou a data da composição: 1991. Ou seja: o Kurt dava músicas em troca de chifre. E nós é que somos maus!

Anyway, esperamos que a parceria, que já deu certo uma vez, consiga prosperar novamente, porque gostamos do Hole – ou pelo menos do que o Hole lança e jura que é próprio.

Sucesso profissional é difícil. Sucesso na vida amorosa, ô… Sucesso é coisa que todo mundo quer, e com a internet e a democratização dos meios de produção, todo mundo tem vontade de emplacar um sucesso. A era prevista por Andy Warhol chegou: dá pra todo mundo ter 15 minutos de fama… Mas como conquistar o seu? Estaremos todos à mercê das regras ocultas da viralização cibernética? Porque uns blogs são muito acessados, enquanto outros – muitas vezes com maior qualidade – são levados ao ostracismo?

Tipo, quão bom é o blog do Eri Johnson? Complicado…

Vamos ver o que tem se tornado webhit hoje em dia… O menino David doidão depois do dentista, a pobre tartaruga copulando com um tênis, o garotinho de 1 ano gritando “Gol do Santos”. O que as pessoas que postaram esses vídeos fizeram? Somente passaram para seus amigos, que movidos de profundo interesse repassaram pra outros amigos e aí a coisa vai, vai e toma proporções absurdas. A fama vem mas sempre haverá um novo webhit nos próximos dias.

Tenho pensado em como forjar um webhit quando eu mesma coloquei um vídeo no Youtube. De cara, minhas pretensões cairam na real: o tema é segmentado demais, nem todo mundo acha graça/entende, não tem nenhum bebê ou animal fazendo palhaçada (apesar de ter um cachorro medroso!). Estamos fazendo o máximo na divulgação e contando com a ajuda das pessoas para indicar e repassar, mas ainda não atingimos o ponto de desequilíbrio, se um dia o atingiremos… No fim das contas, nós nos divertimos muito nas gravações, e ainda rimos bastante quando vemos o querido videozinho.

Mas e você? É, você! Vai que você acha engraçado! É, sei lá! Ficou interessado? Aviso que é uma produção mambembe e humilde… mas faz graça com os pseudo-intelectuais acadêmicos! Maneiro né? Quer ver? Quer ver??? Ah, legal! Vou mostrar pra você! Eba!

Luciene Albuquerque (Priscila Biancovilli) é uma aluna do último período de Comunicação Social com dificuldades para escrever sua monografia. Eis que, misteriosamente, uma entidade pseudo-intelectual chamada Maria Ephigênia Bombonière (Natalia Weber) surge em sua casa para auxiliá-la nessa árdua tarefa. Com muito didatismo e vocabulário impecável, Bombonière explica o passo-a-passo de uma monografia nota 10 e guia a estudante pela sua apresentação perante os intelectuais professores responsáveis por sua avaliação.

Mais infos e curiosidades, aqui: http://monografiapseuda.blogspot.com. Reparem na trilha sonora, hein!

p.s.: Você sabia que o pai do Davis (o do dentista) tem um blog e tá tentando faturar com seu webhit? É, tem que tirar o máximo, o cara tá tentando estender seus 15 munitos para uns, sei lá, 16… O cara tá produzindo uma camisas com as frases “de efeito” (ou sob efeito, hehe). Sei não, eu num usaria uma camisa escrito “David After Dentist” (com referência ao Youtube em vermelho – que gênio!), mas vai que você gosta? Aqui.

O vocal do Nine Inch Nails, Trent Reznor, escreveu no Twitter que está com vergonha alheia pelo novo disco solo do Chris Cornell (ex-Soundgarden, ex-Temple Of The Dog, ex-Audioslave – ou seja, não precisava disso). Dizia assim o post que o Reznor publicou ontem:

You know that feeling you get when somebody embarrasses themselves so badly YOU feel uncomfortable? Heard Chris Cornell‘s record? Jesus.

hauahauahauahaua… Mais direto impossível.

Bom, este terceiro disco solo, Scream (Pânico, em português), tem a produção assinada por Timbaland e chegou anteontem, dia 10, às lojas gringas. O álbum sucede Carry On (2007), que trazia entre suas faixas You Know My Name, tema de 007 – Cassino Royale. Os fãs também acharam o disco uma bela porcaria e, por isso, a gente nem vai se dar o trabalho de baixar.

Tem coisa mais interessante pra ouvir. Por exemplo, a ótima faixa 1,000,000, que o NIN lançou no disco The Slip, de 2008 (clique aqui para entrar no site deles e baixar o disco inteiro GRATUITAMENTE):

Tanto o álbum The Slip, quanto a faixa 1,000,000 estão nas listas de melhores de 2008 aqui do meu, do seu, do nosso LIXEIRA DO POP.

Bono – o criador -, que nunca reclamou de um pernilongo atrapalhando seu sono, disse que Chris Martin – a criatura – era um punheteiro… hauahuahaua. Juro! Palavras dele. Em rede nacional no Reino Unido. De acordo com a Folha Online:

A entrevista com Bono foi ao ar no dia 27 e, segundo o “Daily Mail”, no mesmo dia seis reclamações foram recebidas pela rede. Na manhã daquele dia, Bono, em entrevista na Radio 1 para a DJ Jo Whiley chamou Martin de uma palavra vulgar que quer dizer “masturbador”.

A DJ imediatamente pediu que Bono se desculpasse. Ele o fez, mas complementou dizendo que Martin tinha um caráter cretino e que os comentários eram uma brincadeira.

Diz que perguntaram se o líder do U2 considerava Martin tão bom músico quanto Paul McCartney. Queriam que respondesse o que, né? Ele falou que Chris Martin até era bom de melodia, mas também é um wanker (vocábulo censurado no Reino Unido). Ou seja, as atitudes paunocu do vocalista do Coldplay tiraram até o Bono do sério. E olha que o Martin é o maior Bono wannabe. Shame on you Chris Martin!

Ah, bom lembrar que o disco novo do U2, No Line On The Horizon, está bem fraquinho e o Bono, marqueteiro do jeito que é, precisa aproveitar qualquer espaço pra aparecer na mídia e dizer que o disco é revolucionário e tal. Então, vale tudo, fia! Até baixaria com o seu imitador de luxo, mister Martin. Nós somos contra divulgar este tipo de baixaria, mas como o alvo era o Chris Martin, abrimos uma exceção.

O frontman do Coldplay, aliás, ainda não comentou o insulto. A última postagem no blog da banda é das oito e pouca da noite do próprio dia 27 de fevereiro, mas passa longe de tratar do assunto.

Andam rolando em vários sites de notícias, informações de que Roberto Carlos pretende lançar uma biografia oficial, um disco de inéditas e fazer um show no Maracanã para comemorar seus 50 anos de carreira.

Agora faz sentido toda aquela história da censura à biografia Roberto Carlos em detalhes, escrita por Paulo César Araújo. Pelo jeito, o “rei” já estava programando embolsar uma grana com um livro “chapa branca” sobre sua vida ao completar meio século de carreira.

Roberto Carlos, que atualmente vive de shows em cruzeiros para senhoras, tem renegado seu passado rock n´roll há décadas, desde que adotou o estilo “garanhão italiano”, cantando músicas religiosas e se vestindo de azul.

Numa rápida procura na internet é fácil encontrar a biografia proibida para download:

http://cracknomundo.wordpress.com/2007/10/13/roberto-carlos-em-detalhes-baixe-a-verdadeira-biografia-proibida-do-cantor-roberto-carlos/

Mais um ano, mais um Grammy… confesso que gosto de ver essa papagaiada pelos shows. Premiação é meio chato, mas enquanto eles estão na lenga-lenga você pode ir colocando a pipoca no microondas. Os momentos “reunião-dos-artistas” é o mais legal, não me esqueço o quanto gostei de ver John Mayer + Corinne Bailay Rae + John Legend há uns 2 anos. Ano passado, nada que eu me lembre a não ser a cara de besta da Amy (“Maaaa Blake encarcerated!!!!” MOR-RI DE RIR!)  e o Mark Ronson ganhando o prêmio de produtor (pulinhos!).

Amy com cara de “O QUÊ?”

Esse ano, a Sony exibe a 51ª edição da cerimônia esse domingo (08), a partir das 23h – ao vivo de LA. Reprise dia 15/02, às 20h. A Sony tá fazendo uma série de chamadas bem espirituosa pro evento. O tema é “O futuro da música está em boas mãos”, com textos assim: “Pra ser candidato ao Grammy, tem que ser O-RI-GI-NAL” – entra imagem do Coldplay com uma faixa onde se lê “PROCESSADOS”, ou ainda “Para ser candidato ao Grammy, deve ter um imenso fã-clube, uma estratégia de marketing arrasadora e fazer todo mundo cantar por você” – entram os Jonas Brothers! No fim, a declaração irônica: O futuro da música está em boas mãos… ê lê lê!

Mas então, o rapper Lil Wayne e o Coldplay lideram em número de indicações – levaram oito e sete, respectivamente. Algumas das categorias mais importantes:

Se não rolar Grammy, que tal um Oscar de figurino?

Álbum do Ano
Viva La Vida Or Death And All His Friends – Coldplay
Tha Carter III – Lil Wayne
Year Of The Gentleman – Ne-Yo (quem???)
Raising Sand – Robert Plant & Alison Krauss
In Rainbows – Radiohead (olhaaaa! o álbum do “quem dá mais!”)

Música do Ano
American Boy – Estelle e Kanye West
Chasing Pavements – Adele (Estilo Amy, porém poderia quebrar a Amy em 3)
I’m Yours – Jason Mraz (tô por fora…)
Love Song – Sara Bareilles (acho essa música chata por demais)
Viva La Vida – Coldplay (se o Coldplay levar, será que vai agradecer ao Satriani?)

Melhor Artista Revelação
Adele
Duffy (estilo Amy, mas com voz mais chatinha)
Jonas Brothers
Lady Antebellum (tô por fora…)
Jazmine Sullivan (tô por foraaaaaaaa… Isso é que é Revelação! Ninguém nem sabe ainda! rs)

Melho Álbum de Música Pop
Detours – Sheryl Crow
Rockferry – Duffy
Long Road Out Of Eden – Eagles (do Hotel California?)
Spirit – Leona Lewis
Covers – James Taylor

Melhor Álbum de Rock
Viva La Vida Or Death And All His Friends – Coldplay
Rock N Roll Jesus – Kid Rock
Only By The Night – Kings Of Leon
Death Magnetic – Metallica
Consolers Of The Lonely – The Raconteurs

Melhor Álbum de Música Alternativa
Modern Guilt – Beck (amo!)
Narrow Stairs – Death Cab For Cutie (amo! Não sei pra quem torcer…)
The Odd Couple – Gnarls Barkley (o Danger Mouse, inclusive, produziu o do Beck…)
Evil Urges – My Morning Jacket
In Rainbows – Radiohead (“dou 5 pila…”)

E os shows ficam por conta do U2, Coldplay, Miley Cyrus e Taylor Swift (kids!), Estele e Kanye West, Jennifer Hudson, Jonas Brothers, Kid Rock, Lil Wayne (no VMA esse cara fez playback…), Paul McCartney e Dave Grohl na batera (UAU!), Katy Perry (desafinou feião no VMA, eu quase tava pedindo playback…), Radiohead (sério?), Rhianna, Justin Timberlake (esses são mó arroz, tão em todas…).

Então. Esse Lil Wayne afinal, coé a dele? O cara é um rapper tipo bagaceiro mesmo (ou como eles gostam de dizer, gangsta), feioso e esquisito, com letras naquele estilo “leve”. Mas a criançada adora (sim, eu disse “criançada”, o cara é o xuxexo entre os adolas americanos). Claro, ele já foi preso por posse de arma e drogas. Claro, a música que atingiu os primeiros lugares das paradas manda a interlocurora fazê-lo de pirulito. Com seu álbum, Tha Carter III, ele está sendo considerado o melhor rapper que há. Eu não sou crítica de música profissional, muito menos saberia criticar rap, mas é engraçado quando a pessoa gosta do que tá criticando. Essa da Rolling Stone diz que Lil Wayne zoa esse negócio de se vender ao sucesso ao criar uma música de sucesso “Lollipop”, a tal do pirulito, sucesso aqui também). Tenho certeza que se não gostasse do Wayne iria dizer que ele era um vendido mesmo, oras!

Ok, quem leva Grammy então? Amanhã a gente descobre.

amybaywatchO trocadilho do título foi só porque a notícia saiu no tablóide The Sun e, a essa altura, já foi reproduzida em tudo quanto é lugar. Mas a idéia é dar a NOSSA versão dos fatos. Mesmo porque o que mais importa num fato é a versão, já que todo mundo contou a história de maneira fria, insensível, enquanto o Sun fez questão de comparar Amy Winehouse a uma estrela de… Baywatch (ou S.O.S. Malibu), com direito a fotomontagem que ilustra este post e tudo. Isso nos faz pensar que o pessoal do Sun consegue ser bem pior do que nós.

Vamos, então, à tradução do início da notícia publicada no site do diário britânico, com direito aos nomes em caixa alta e tudo, como eles gostam:

Heroína Amy

amyheroina

Amy e Louise

Uma TURISTA contou ontem como AMY WINEHOUSE deixou o jeito junkie de lado para se tornar sua heroína – num resgate na praia no melhor estilo Baywatch.

Louise Williams, 39, estava no meio de uma aula de navegação no Caribe quando ela foi arremessada para fora de seu bote por uma onda de 6 pés de altura.

Bom, os momentos menos periclitantes da narrativa, que descrevem o resgate, você encontra na Folha Online. Se continuar assim, Amy, seu papel como estrela de Hollywood está garantido. Não nos decepcione, garotona!

Não. Não se trata de nada ligado ao Fabio Jr.

É que todo mundo já se acostumou com a língua afiadíssima dos irmãos Gallagher – mais o Liam que o Noel. Fato é que normalmente eles são contestados via jornais e a discussão se esvazia logo.

Agora vai pensar duas vezes antes de sair por ai falando merda?

Será que agora vai pensar duas vezes antes de sair por aí falando merda? Acho que não

Sei que o Liam tava lá, tirando onda num hotel em Berlim e, de repente, veja só, encontrou outro hóspede: Tom Cruise. O problema é que no documentário Lord Don’t Slow Me Down (2008), o vocalista do Oasis disse: “Eu odeio Tom Cruise. Eu não consigo suportar aquele pequeno bastardo. Nem ele nem Michael Owen.” Dizer assim é fácil. Problema é falar na cara. Ainda mais quando vem um baixinho envocado pra cima de você. Foi exatamente o que ocorreu.

Tom Cruise já chegou todo marrentinho: “Qual é? Qual foi? Por que é que tu tá nessa?” Aí, o Liam afinou, pero no mucho. Admitiu que gostou da atuação de Cruise no filme Coquetel, de 1988.

Quem viu disse que o Liam ficou com uma cara de quem comeu e não gostou nem um cadinho. Também, é aquilo: quem fala o que quer, acaba ouvindo – e precisando explicar – o que não quer. E o pior é que ele deu sorte. Tom Cruise é todo mauricinho, certinho e tal. Queria ver é como ele (ou o que restasse dele) ficaria num encontro com o pessoal do Blur. Ou como o irmão dele, Noel, ficaria ao se deparar com o Jay-Z.

1 – A filha do rei do rock n´roll, Lisa-Marie Presley – aquela mesma que foi casada com Michael Jackson, utilizou “os serviços” de um médium para apresentar o pai, Elvis, para suas filhas gêmeas recém-nascidas. Fico imaginando a cena: “Filhinhas, esse fantasma aqui é seu avô.”Elvis Fantasma

 

2- A banda The Gossip, da gordinha “mais charmosa” do rock n´roll, Beth Ditto, não veio ao Brasil, mas aproveitou a folga para lançar uma música nova, 1000 things. O som pode ser conferido no myspace do grupo. Além da música nova, o guitarrista postou uma mensagem dizendo que o próximo álbum do Gossip – sucessor de Standing in the way of control, de 2006 – terá como principais influências chá verde, a banda britãnica The Fall, luvas de couro pretas e apertadas e o duo pop inglês Eurythmics. O disco – que deve ser no mínimo curioso – sai do forno em 2009.

3-O site do R.E.M retificou a informação de que o Travis abriria o show da banda no Rio de Janeiro, dia 8 de novembro no HSBC Arena. Agora, o responsável para aquecer a galera carioca será Fernando Magalhães,  guitarrista do Barão VermelhoMagal tem um projeto solo de rock instrumental maneiríssimo. Escute aqui.

 

 

O que Montage, Seu JorgeVanguart tem em comum? Os três foram impedidos de entrar na Inglaterra. A notícia é do G1.

Barrados no baile

Barrados no baile