Arquivo da categoria ‘Momento TV Fama (ok, ok)’

Como fazer um webhit? Era a pergunta que eu me fiz logo após fazer upload do meu vídeo no Youtube, o “Como fazer uma monografia pseudointelectual” (é, aparentemente agora é junto). Aqui no Lixeira eu já discorria sobre a dificuldade de emplacar um vídeo no mundo cibernético, regido pela mão-invisível do viral, com um vídeo de quase 10 min, de conteúdo altamente segmentado e nenhuma criança bêbada, tartaruga tarada, acidente tosco e celebridade em situação embaraçosa no seu conteúdo.

Pois bem, nós mandamos o vídeo no Youtube no começo de março e começamos uma forte divulgação boca-a-boca virtual. Utilizamos Twitter, Orkut, MSN, blog, mandamos e-mails pra pessoas que iam se interessar pelo tema. A cada feedback positivo, a gente pedia pra repassar pros amigos. Nosso vídeo conseguiu, em 2 meses, 2.000 views. Uma marca boa, mas nós queríamos mais.

Ficamos encafifadas, pensando em tudo que poderia fazer o vídeo decolar. Mandamos para os professores divulgar. Alguns realmente o fizeram. Pensamos em sair em jornais de DA, pensamos em pessoas de influência, mas os e-mails que mandei pro Marcelo Tas e pro Kibeloco não surtiram efeito algum.

Nesse meio tempo as pessoas que viam o vídeo sempre elogiavam a iniciativa. E era isso que nos fazia continuar a divulgação.

Eis que minha amiga Priscila teve a grandíssima idéia de mandar um release pra Megazine. Tudo a ver, espaço jovem, falando sobre educação. seria uma pauta coerente. Mas não deveria ser qualquer release, um release da produtora, a grande “Eu&OsMeus Produções”, que, por enquanto, só existe naquela logo do pôster. E um release profissa, completo, com direito a opinião de uma professora da UFF, entusiasta do curta, pra dar uma credibilidade. Com o e-mail da repórter responsável nas mãos, enviei o treco e não esperei mais nada. E lá vem a Priscila: “Como assim você só mandou? Release só funciona com follow-up!” (pra quem desconhece os termos jornalísticos, é a prática de ligar pro repórter e confirmar o recebimento do e-mail. O que é chato pra ambas as partes). Eu num quis fazer follow-up de coisíssima nenhuma, eu sou uma pseudo-jornalista com vergonha de falar ao telefone (sério!), e o nosso vídeo é um vídeo no Youtube! Desde quando vamos fazer alarde assim para um vídeo no Youtube?

Mas o coração de mãe fala mais forte, e eu fiquei com culpa de não ter feito o bendito follow-up. Eis que o universo resolveu conspirar a favor poucos dias depois. Escutem essa, crianças e pessoas discrentes: advinhem quem me manda um scrap no orkut querendo apurar uma matéria sobre jovens que gostam de coisas retrô? Ela mesma, a tal repórter da Megazine, que me achou na comunitade “Atari Lovers”! Foi a deixa pra eu tomar coragem, passar a mão no telefone e ligar pra criatura! Falei que amava Atari, mas que não tinha um tem uns 10 anos, e que, falando nisso, mandei um release sobre um filme, você viu? Monografia pseudointelectual?… “Ah, vi sim, vou ver aqui, levar pra reunião de pauta…” Depois disso, mais umas semanas de silêncio. É, achamos que não o povo (quer dizer, O Globo) não gostou.

Corta pra eu almoçando com a galera do trabalho. Telefone toca de um número privado. Era a repórter, querendo fazer a matéria com a nossa “produtora”. E eu “ahn?” Ferrou, que produtora, cara pálida? A única coisa que podemos falar, é do vídeo em si. “Onde poderia ser a entrevista? Onde fica a produtora de vocês? Um lugar, com a ilha de edição?” Ilha de edição??? Você quer dizer o laptop do meu pai com Vegas 8.0 versão trial (já expirada) instalado? Ferrou… Aí eu mando a seguinte pérola: “Aqui, é que nosso vídeo foi feito de forma muito artesanal. Pode ser na ECO (Escola de Comunicação da UFRJ, onde minhas amigas se formaram e onde pegamos TODOS os referenciais do filme)?” Beleza, fechamos pro dia seguinte. Conhece o Laguinho? “Claro, estudei lá!”

Ih, tá no papo! Esperando no Laguinho (ponto de encontro muito conhecido de quem estuda lá), nós percebemos que a nossa repórter era uma ex-ECOína que sabia muito bem da pseudice que a gente estava falando. E o papo transcorreu muito bem, com muitos “lembra daquele professor? Nossa, que maaala!!” e nossas críticas contundentes aos pseudos que dificultam tudo pra nós.

Não sem antes tirar um milhão de fotos com um fotógrafo pau da vida com a luz ruim daquela tarde nublada. Sem nenhum objeto pra ilustrar a cena, nós começamos a fazer mil palhaçadas pra câmera, fingindo que tava maquiando, filmando com a mão, observando o ângulo. E toma clique! E muda de lugar! E vai pra lá! E começamos a fazer cara de intelectual… e eis que ele manda a gente se dependurar pra fora da grade daquela varanda (pra quem não conhece o Laguinho, é um local aberto em uma construção do século retrasado, mais baixa. Do corredor aberto pro plano daquele jardim de inverno, devíamos estar a 4 metros de um senhor estabaco). Minha amiga Mariana tem medo de altura, Priscila estava de saia e eu de vestido, e pra chegar onde ele queria a gente tinha que pular uma grade alta. T-u-d-o pela ARTE!

Sem falar nos alunos todos, olhando, olhando…

E depois? Depois ficamos esperando aquela semana passar pra ver o resultado. E pouco antes recebo um e-mail da repórter, dizendo que só iria sair na oooutraaa edição. Fiquei com medo até de divulgar… vai que a pauta caía? Mas, terça-feira, dia 28 de abril, lá estávamos nós, fazendo cara de intelectual e divulgando nosso trabalho…

O próximo passo? Sei lá! Continuamos aguardando a mão-invisível virótica da internet se mover a nosso favor…
Nós no jornalão, clique pra ver maior.

Nós no jornalão, clique pra ver maior.

Nós na versão online.

Não dá pra comemorar o aniversário do LIXEIRA DO POP sem falar nelas. As nossas musas não nos deixam sem assunto. Então, vou antecipar pra hoje o post que viria só amanhã (e o de hoje, sobre downloads gratuitos, vem amanhã ou sábado; beleza?).

amytrapezistaÉ preciso reconhecer o poder de atração de audiência de dois nomes: Amy Winehouse e Britney Spears.

Como dificilmente elas aprontam juntas, poderíamos ficar dias pares falando da Wino e dias ímpares falando da Britta. Esta semana, por exemplo… A Amy transformou seu quintal num CIRCO e se tornou a diversão da vizinhança lá em London. Dá só uma olhada na cara do vizinho safadão. Depois o corno do Blake Fielder-Civil vai ficar irado por ter sido corno one more time.

Já a Britney, tava lá, fazendo um show da turnê CIRCUS (coincidências non eczisten!), quando, do nada, a doida desejou um “maaaarry Christmaaaaas” (feeeeeeeeliz Nata-al). Juro! O vídeo não me deixa mentir:

Um ano falando nelas e nós, que quase não gostamos de teorias da conspiração, chegamos a uma conclusão: Wino e Britta são a mesma pessoa. Tipo Clark Kent e Superman. Bruce Wayne e Batman. Corvo e Repórter Vesgo. Felipe Ricotta e Kiabbo. Fofão e Patropi (ok, peguei pesado agora). Mas é isso: são a mesma pessoa. E se alguém tiver prova do contrário, manda pra gente, porque por enquanto nós acreditamos nisso.

Ok, não que ele seja flor que se cheire, mas é que o Dado Dolabella nunca havia nos suscitado muitos sentimentos além da indiferença. Até que ele foi preso por debochar uma determinação meio louca da Justiça – e não por descumpri-la. Eis a foto do fanfarrão zoando (linguinha+trena):

dadodolabella1

Batou isso! Já o admiramos, porque ele não traiu o movimento dos zoadores de plantão.

O melhor é que ele entrou e saiu da cadeia de cara boa, sem agredir ninguém, nem resistir à prisão. Zoado Dolabella, nosso novo ídolo. Ok, nem tanto.

chriscornellO ex-Audioslave (e ex-Soundgarden e ex-Temple Of The Dog) Chris Cornell respondeu à declaração do líder do Nine Inch Nails, Trent Reznor, que esta semana escreveu no Twitter que sentiu vergonha alheia ao ouvir o disco novo do ex ex ex, entitulado Scream. O álbum novo de Cornell, lançado há quatro dias, foi produzido pelo rapper Timbaland e aí, já viu, né? Ficou aquela coisa e os próprios fãs o-di-a-ram. Odiaram mesmo!

Aí, o Reznor zoou o disco e o Cornell respondeu assim:

O que você acha que Jesus twittaria? “Aqueles que não têm pecado que atirem a primeira pedra” ou “Alguém viu Judas? Ele estava aqui há um minuto”.

O que me faz declarar que acabou toda a admiração que eu tinha pela pessoa do Chris Cornell. Isso é resposta que se dê? Usou trechos da Bíblia.  Qual será o próximo passo? Compor um CD gospel? Aqui no Rio a gente chama este tipo de cara de prego. Como eu disse, não ouvi e não gostei do disco, mas… Isso é coisa que se grave e lance? Shame on you, Chris Cornell!

E dane-se a saudade que eu sinto dos bons de oratória! Saudade mesmo era do tempo em que o Chris Cornell fazia música de verdade (até quando desafinava – e isso ocorria com certa regularidade):

Agora a nova, Scream, homônima ao disco. Ouçam o quanto é… diferente (ia escrever RUIM, mas prefiro deixar minha suposta neutralidade jornalística falar mais alto):

Vida de Big Brother não é mole. As pessoas não dão trégua e querem saber de tudo que a eliminado faz assim que sai da casa. É claro que não fazem nada de interessante por isso que o grande lance é saber o que fizeram no passado. É AÍ QUE ENTRA O GRANDE LANCE!

A última eliminada do BBB já está mais famosa pelo passado do que pelo que aprontou na casa. Um vídeo circulou na internet com a Maíra “com a boca na botija”. Depois da pressão feita sobre ela, Maíra declarou que é uma coisa normal “de qualquer mulher casada” mas é claro que deu o que falar. Vejam o que diz a manchete de hoje do diário carioca Meia-Hora (capa em pdf aqui):

meiahora_bocanabotija

Ééééé..pra quem disse que não faria nada no BBB porque tem um flho de 8 anos, ela mostrou pra internet do Brasil todo como ela conseguiu tê-lo.

Ps: Esta LIXEIRA DO POP não disponibilizará o vídeo pois somos contra baixaria gratuita mas é só escrever “Maíra Cardi” no Google… ops… I did it again.

Dizem que c* de bêbado não tem dono mas alguns fazem questão de demonstrar quem é o proprietário do seu… errr… buraco. Nesse Carnaval o mole da vez foi dado pelo ex-jogador do São Paulo e da seleção Raí. O galã bobeu e demonstrou que não passou o carnaval em branco. Ele veio ao rio e pintou o sete de verde e rosa ao declarar o seu amor e deixar bem claro que é sãopaulino “desde criancinha”.

Ééé, Raí… Como dizem no vídeo : “bambiou , dançou”.

A dupla MGMT, uma das sensações do rock recente,  está processando o presidente francês Nicolas Sarkozy por uso abusivo da música Kids.

Sarko” – bastante criticado na França por sua política conservadora – tem mostrado, por outro lado, uma vida pessoal “pra frentex”. Alem de ser casado com a cantora-modelo-bonitona Carla Bruni, parece estar antenado às novidades ao escolher a música do MGMT para ser trilha de divulgação do congresso anual do seu partido, a União por um Movimento Popular (UMP). No entanto, a canção do álbum Oracular Spetacular ( ótima estréia em disco da dupla formada por Andrew Vanwyngarden e Ben Goldwasser: ficou com a segunda posição na fenomenal lista da Lixeira de 2008) foi utilizada sem permissão para promover a reunião que aconteceu em janeiro. Foram publicados na internet dois vídeos com a canção.

Quando a UMP admitiu ter utilizado o tema sem autorização, ofereceu à banda 1 euro pela violação dos direitos de autor, proposta considerada “um insulto” pelos rapazes do Brooklyn, bairro localizado na cidade de Nova Iorque. O MGMT luta agora por uma recompensa “justa” no tribunal. “A oferta desrespeita os direitos dos artistas e autores. Trata-se de uma violação de propriedade intelectual”, alegou a advogada Isabelle Wekstein.

Não são raros os casos de violação de direitos autorais por políticos. John MCcain, candidato republicano que perdeu as eleições americanas do ano passado para Barack Obama, por exemplo, foi acusado por diversas bandas – entre elas o Foo Fighters – por uso de canções sem autorização.

A banda britânica Prodigy, que estourou mundialmente na metade dos anos noventa ao misturar rock com música eletrônica a um visual “clubber”, revelou – com dez anos de atraso – que em 1999 fez a trilha sonora de Uranus Experiment, o primeiro filme pornô realizado na ausência de gravidade.

O longa-metragem adulto foi rodado num avião usado para treinar astronautas e simular a gravidade encontrada fora do Planeta Terra. A banda contou essa e outras histórias curiosas para publicações inglesas. O objetivo? Divulgar o novo disco do grupo, Invaders Must Die, que sai em 23 de fevereiro.

Esse BBB 9 tá um tal de perder a linha que tá impressionante. A fórmula é bem conhecida: SUCESSO = putaria + barraco. A primeira abunda e o segundo está ausente. Pra compensar isso Boninho e sua trupe inventaram a tal casa de vidro. Se não bastasse a primeira versão no Via Parque, agora tem a versão que está presente na casa mais vigiada do Brasil (“-Vamos espiar”). Os novos moradores são um capira tarado e feio pra car… fora do padrão de beleza do programa e uma caipira que se acha puritana mas é gostosa pra car… bem bonita a ponto de dar inveja às outras participantes fêmeas (por isso o Max não precisa se preocupar).

É claro que eu não vi o programa porque eu tenho mais o que fazer mas pelo que me consta ele é um cara que só sabe falar de sexo e ela finge que não gosta mas usa um biquini atolado na rabiola. Ou seja, como diria Cumpadi Uóshinton: “Órdináááária”… Aaah, você quer saber os nomes: me falaram que se chamam André e Maíra. E mesmo sem me falarem nada podem ter certeza que ou os dois transam ou brigam feio. Porque o show não pode parar. O que você prefere?

O banho de Maíra na casa de vidro (a que ponto chegamos!):

Graças ao blog Espiadinha

A gente já colocou aqui, e você deve ter sido uma das 6,7 milhões de pessoas que viram o coitado do menino doidão depois do dentista…Webhit total. Surfando por aqui, conferi, entre os milhares de remixes e releituras do vídeo do tal menino (tipo, Darth Vader after dentist e etc), um vídeo que junta o moleque sedado com o áudio do piti que o ator Christian Bale (o Batman Begins, o Dark Knight, aquele mesmo) deu no set de filmagens do filme Terminator: Salvation.

Se você tá por fora, é assim: aparentemente um tal assistente do set fez a marcação errada, ou algo do tipo. Estragou a cena, o Christian Bale deu um piti daqueles, xingou mil palavrões. O piti foi gravado e claro, caiu no Youtube. Agora dá pra brincar…

Why so serious? Why so angry?

Why so serious? Why so angry?

Tem gente até falando que era assim que ele tratava o pobre do Heath Ledger antes de… é, humor negro.

Agora, o melhor disso é que o DJ  americano Lucian Piane fez um remix com o piti, no melhor estilo “na pista”. Em uma semana, o vídeo já levou 2 milhões de acessos no Youtube. Para o Jornal do Brasil, matéria aqui, o DJ declarou: “A gravação original era tão rica em musicalidade que não pude resistir”.

O remix ficou hilário e super bem feito (com participação especial surpresa!). E bem feito pro Bale, quem sabe ele toma juízo e para de dar piti por aí. O cara nem tinha muita razão, ficou xingando o pobre do assistente mandando um fcknfckfcnk atrás do outro sem nenhum argumento.

Se vocês se lembram, o intérprete do Morcegão já foi parar na polícia acudado de agredir… a mãe! (Bat-mãe! A piada mais pronta que há!) Ou seja, já tem histórico, o rapaish… tsc tsc. Anger management djá!

Olha o vídeo do remix aí, gente!